#3 Cães e Crianças: Amigos desde a infância

Olá pessoal! Boa noite!

Como prometido vou continuar a série de Cães e Crianças nessa postagem. Acho super importante as dicas para mamães de primeira viagem que tem bichos, ou até mesmo as mamães que adotam um animalzinho depois da gestação. São 5 posts relacionados a esse assunto que estarei publicando durante dois dias da semana (clique aqui para conferir o segundo), então não deixem de conferir o terceiro abaixo:

” *Adaptação do cachorro a uma casa com crianças

Não é só na chegada do bebê que o melhor amigo precisa de cuidados. Ao leva-lo para uma casa onde já moram crianças, também é necessário atenção. O primeiro passo é preparar a residência para o novo habitante, que precisará de um local arejado e coberto para dormir e se alimentar – bem como uma cama confortável e vasilhas limpas – e outro de fácil limpeza para fazer as necessidades.

Em seguida, é imprescindível ensinar a garotada a lidar com o bichinho, sempre deixando claro que não se trata de um brinquedo. Os pequenos têm de aprender a respeitar o espaço do pet e saber que ele tem hora para comer, dormir e se divertir, exatamente como eles. Além disso, é fundamental que as crianças só tenham contato com os peludos sob a supervisão de um adulto, a fim de evitar acidentes.

Quando filhotes, o zelo dos donos deve ser redobrado. Isso porque os meninos e as meninas costumam pegar os cachorrinhos de maneira desajeitada, correndo risco de machucá-los. Em algumas situações, o pet pode ficar irritado ou sentir dor e acaba reagindo de forma agressiva, mordendo ou arranhando a criança.

Caesecriancas3

No caso de cães mais velhos, a disposição para brincar e correr não é tão intensa, assim sendo, os pais têm de conversar com os garotos para que eles entendam as restrições do animal e saibam como lidar com ele.

‘A aproximação entre esses dois seres deve sempre zelar pela segurança, tanto da criança quanto do cão, e ambos deverão aprender limites. Por exemplo, o cachorro não põe morder a criança e ela não pode chutá-lo, o que se consegue com educação e treinamento’, diz Alessandra Caprara.

A médica veterinária Carolina Rocha comenta que os pequenos também devem aprender que os peludos não gostam de ser encarados – quando isso acontece, eles podem ficar agressivos – e que as não devem puxar o rabo, as orelhas e os pelos do pet nem montar neles. ‘As crianças não conhece, as limitações dos animais e não entendem os siniais que eles emitem, por isso, é fundamental que os pais passem esses ensinamentos e supervisionem as brincadeiras’, complementa.

Caesecriancas3a

Apesar de se adaptar com facilidade às novas pessoas e situações, é preciso dar bastante atenção ao mascote logo que ele ao lar. Especialmente quando filhotes, o melhor a fazer é ficar o dia todo de olho e manter objetos, principalmente os pequenos e os brinquedos dos filhos, longe de seu alcance. Também procure deixar os armários sempre fechados e os produtos de limpeza acomodados em locais aos quais ele não terá acesso. Cuidado ainda com janelas, piscinas, varandas e plantas tóxicas.

E atenção quanto à higiene. Com crianças por perto, esse quesito merece um cuidado especial. Mantenha a casa sempre limpa e livre de pelos; leve o bichinho constantemente ao médico veterinário para receber as vacinas e os vermífugos necessários e ao pet shop para tomar banho; e evite que as crianças e os cães brinquem com os mesmos objetos e, principalmente, coloque-os na boca.”

E o que acharam? Super importante essas dicas né? Compartilhem pessoal!

Fonte/Fotos: Revista Melhor Amigo – Ano 1, n. 9, pag. 24.